EQUIPE
1013
page-template,page-template-full_width,page-template-full_width-php,page,page-id-1013,bridge-core-1.0.4,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,footer_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-18.0.9,qode-theme-bridge,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-5.7,vc_responsive
 

EQUIPE

Conheça a nossa equipe: 

John Leo
-Fundador e Coordenador Geral da Rádio Figueira
-Comunicador/Narrador
-Locutor do Estádio Orlando Scarpelli
-Experiências na mídia/esportes: comecei no rádio por acaso, por convite do amigo Jouber, em Lisboa (Portugal) e depois no Portal e Web Rádio “Na Moral”, em Bruxelas (Bélgica), um projeto voltado aos brasileiros que moravam na Europa. Lá chegamos a transmitir até o GP de Spa Francorchamps (F-1).
Baseado no que conheci em clubes europeus, fundei a Rádio Figueira em 2011 e desde 2012 somos a Rádio Oficial do Figueirense FC, onde além de narrador e comunicador, acumulo a função de locutor oficial do Estádio.
Faço setor, com as informações diárias do clube e participei diariamente, por quase 3 anos, com comentários na Rádio Record AM, onde transmitíamos os jogos do Figueirense/Rádio Figueira.
Paralelamente, venho fazendo trabalhos com narrações e reportagens para outros veículos e produtoras. Acumulei durante algum tempo também, a função de assessor de imprensa do Figueirense FC, viajando com a equipe pelo país.
-A primeira vez no Scarpelli: não lembro claramente, a idade já me atrapalha (rs), mas sei que foi aos 5 anos de idade, em 1988, com o meu tio Edson Bolinha (um alvinegro muito conhecido) e meus primos, num Figueira x Criciúma. Confesso que não lembro do jogo, mas sei que terminou empatado. Frequento o Scarpelli desde molequinho… é a minha casa!
-Um jogo inesquecível: um só? difícil, mas vou citar a decisão de 1994. Eu era um menino de apenas 11 anos, mas lembro dos preparativos na casa da minha avó, de chegar cedo ao Estádio, a bandeira pegando fogo na arquibancada, foi uma correria… depois os gols do Ricardo e aquela comemoração sem fim, com a invasão e tudo mais… a minha família é toda alvinegra, foi uma loucura!
-Uma transmissão inesquecível: foram muitas! Poderia e gostaria de citar o 4×0 créu de cueca na Ressacada (2013), a inauguração do Itaquerão (2014), onde surpreendemos e calamos aquela raça toda, e eu quase morri narrando aquele gol, mas a minha transmissão inesquecível foi o jogo do acesso em 2013, por tudo o que vivemos, com o time quase fora, aí veio a goleada no rival, depois aquela invasão, com a torcida alvinegra tomando as ruas de Bragança Paulista… foi demais!

 

 

Israel Córdova
-Comentarista / Repórter / Comunicador
-Experiências na mídia/esportes: sempre fui ouvinte de rádio FM. No final da década de 90, comecei a ouvir os jogos do Figueira na Radio Guarujá AM, em seguida, com a internet chegando, de forma constante, participava de programas esportivos de rádio, enviando e-mails com a minha visão. Até convites para participar de programas, como o extinto Show de Bola da Guarujá, que participei, quando era apresentado por Fabrício Corrêa. Em 2009, iniciei com o Blog do Israel, onde trazia a opinião e a visão de um torcedor exigente. Em 2012 iniciei as minhas participações na Rádio Figueira, onde estou desde então. Desde 2019, participo como comentarista de um programa esportivo semanal, na Urban TV, junto com o amigo Renatinho Pires.
-A primeira vez no Scarpelli: foi naqueles bingos, com meu pai.
Para assistir a um jogo, a primeira vez foi na decisão de 1994.
-Um jogo inesquecível: como torcedor, o jogo inesquecível foi a final do Estadual de 1999. Tempo normal, prorrogação, cavalaria, até neblina teve naquele jogo. Avaí com vaga assegurada na Série B e nós com uma Série C pela pela frente. O título valeu muito!
-Uma transmissão inesquecível: todas as transmissões da Rádio Figueira são marcantes. Todas sempre reservam alguma história, mas pelo sofrimento e alívio, foi a transmissão simultânea a partir dos 35’ do 2º tempo de Figueirense x Fluminense / Corinthians x Avaí (rs rs), pela última rodada da série A 2015, onde conseguimos a permanência do FFC no elite.

 

Luciano Reis
-Repórter / Comunicador
-Experiências na mídia/esportes: sempre acompanhei futebol e era apaixonado por rádio. A minha primeira experiência foi na Rádio Figueira, em 2013. Depois, entre idas e vindas, fui repórter esportivo da Rádio Alegria AM e comunicador da Rádio São Francisco AM (Palhoça).
-A primeira vez no Scarpelli:
-Um jogo inesquecível: o 4×0 na Ressacada foi inesquecível, mas a conquista de 1999 sobre o Avaí, com o Genílson acabando com o jogo. Aquele jogo foi demais, pela atmosfera, pela necessidade de ganhar e pelo choro eterno dos torcedores rivais…
-Uma transmissão inesquecível: muitos jogos ficam na memória, mas a vitória do Figueirense na Arena Corinthians, em 2014, é inesquecível.
Fizemos uma baita jornada e fomos coroados com aquela vitória historica, na inauguração do estádio que foi palco da abertura da Copa do Mundo, dias depois.

 

Carlos Donato
-Comentarista
-Experiências na mídia/esportes: desde pequeno sempre ligado e acompanhando as transmissões esportivas. Movido pela paixão do futebol, em 2015 comecei a participar de programas esportivos e comentar os jogos do Figueirense pela Rádio Figueira. Em 2016 passei a ter um programa esportivo transmitido pela Web Tv Play, chamado Na Cara do Gol, recebendo o prêmio de melhor programa esportivo de 2018.
-A primeira vez no Scarpelli: foi por volta do ano 1995, Figueirense x Inter de Lages. Juntei 5 reais, vale lembrar que nessa época 5 reais valiam alguma coisa, e comprei o ingresso. Uma quarta-feira chuvosa, mas mesmo assim fui no jogo, com vitória do alvinegro por 2×0.
-Um jogo inesquecível: todos os clássicos são marcantes. São jogos que mexem com cidade, divide os torcedores. O clássico de 1999 é um jogo marcante, mas outro clássico que mexeu foi o jogo válido pela Copa do Brasil de 2015, onde o Figueirense conseguiu fazer o resultado, com gol do Marquinhos Pedrosos num chute fora da área.
-Uma transmissão inesquecível: muito jogos são marcantes, mas  em 2019, após uma série de jogos sem vencer, a vitória veio. Era um momento muito turbulento que o clube estava passando, e todos da cabine gritaram o gol junto com narrador, o gol da Vitória, foi demais!

 

 

Elvertt Antônio (JET)
Técnica Rádio/Som do Estádio e Eventos